Blog

Brainstorm: uma chuva de ideias

Quem nunca ficou apavorando quando olhou para uma pauta toda vazia ou uma folha em branco e se desesperou? Esse é o pavor de quase todo profissional da área criativa. Existem alguns procedimentos que podem nos ajudar nesse momento. Um deles é o Brainstorm – uma atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa de um indivíduo ou de um grupo. Conhecida como  uma técnica de criação coletiva, o brainstorm conta com regras e princípios que devem ser seguidos.

Brainstorm

Primeiramente, se faz necessário conhecer o “problema”, por assim dizer. O problema seria aquilo que você precisa resolver, encontrando seus fatos, de forma criativa. Uma vez conhecido, chega a hora da chuva de ideias. A chuva de ideias, ou tempestade cerebral, na tradução literal do termo, deve seguir alguns princípios: julgamento e criatividade.

Julgamento:

Desde pequenos aprendemos a julgar qualquer ideia. No brainstorm é PROIBIDO fazer julgamentos das ideias. TODAS as ideias são válidas, inclusive as ruins. Boas ideias podem ter sido ideias ruins que foram lapidadas e melhoradas para ser a solução exata de algum problema. Uma vez que todas as ideias são válidas, é hora então de usar a criatividade.

Criatividade:

Quanto maior o número de ideias e soluções que surgirem, melhor! Anote todas! Dentre as várias possibilidades de como ter essas ideias mirabolantes, vamos listar algumas para te ajudar:

  • Se coloque no lugar do outro: como outra pessoa resolveria esse problema? Se colocar no lugar do outro é uma forma de ver o problema de um outro ponto de vista;
  • Estabeleça um tempo:  se o tempo for curto ou comprido, corra para colocar todas as suas ideias no papel. Faça o seu cérebro trabalhar acelerado;
  • Desenhe mapas mentais: desdobre uma ideia em termos relacionados e/ou ideias relacionadas. Desenhar um mapa pode ajudar na visualização dessas relações;
  • Mude de ambiente: você sabia que o ambiente onde se encontra influencia a sua mente? Se ficou travado em um texto, por exemplo, experimente mudar de sala, dar uma volta no quarteirão, sentar na cozinha. Com certeza novas ideias surgirão e/ou você chegará a uma incrível conclusão.
  • Inverta sua suposição. Ao invés de perguntar “como solucionamos esse problema?” pergunte “como criamos esse problema”.
  • Lista de desejos: quais os desejos que esse problema desperta em você? Pense em soluções impossíveis para resolvê-lo. Isso estimula a criatividade e traz soluções inusitadas.
  • 101 ideias: parece exagero mas é uma ótima forma de trazer maior clareza nos tipos de caminho que podem ser seguidos.

Além dessas, existem muitas outras. Não economize nos métodos para ser criativo. Quanto mais melhor.

Como em todas as técnicas criativas, o problema deve ser descrito em termos específicos para que ideias específicas possam ser geradas. Generalidades, mesmo as mais brilhantes, são raramente as soluções mais criativas.

Depois da tempestade vem a bonança do brainstorm

Após colher todas as informações, o grupo discute como que pode ser feito uma edição e eleição da melhores ideias e cria, a partir delas, a solução do problema. Aqui na Agência R8, trabalhamos com o processo de brainstorm para realizar, principalmente, os planejamentos das pautas dos nossos clientes aos quais nós prestamos o serviço de criação de conteúdo para redes sociais. É uma forma de integrar a equipe de criação, tanto a parte de atendimento quanto a de design e redação. Assim, cada um com a experiencia da sua área de atuação pode contribuir e a criação fica mais concisa e integrada.

E você? Quais as técnicas para aflorar a criatividade você utiliza?

 

Comente a matéria abaixo

Compartilhe esta notícia